Olá. O objetivo deste texto é te estimular a pensar na AT como uma alternativa de desenvolvimento pessoal. Considero OK e ético deixar isso claro desde o início. 😉

Em vários dos meus clientes que estão em busca de desenvolvimento pessoal e profissional eu ouço dizerem sobre um certo grau de frustração. Muitos dizem que percebem seu potencial, suas habilidades, identificam seus sonhos e seus desejos de crescimento pessoal e profissional, mas se perguntam por que não conseguem executar ações práticas que os levam aos resultados desejados. Por que se boicotam? Por que se não conseguem agir de acordo com seus desejos?

No meu ponto de vista, esta frustração não significa algo ruim, mas sim um sinal de motivação, de inquietação, de ímpeto para o crescimento e desenvolvimento. Aquele que está satisfeito, dorme.

A questão que quero levantar é que é em cada etapa desta jornada é necessário escolher um caminho para ancorar e referenciar este processo de desenvolvimento pessoal. Alguns escolhem a espiritualidade, outros a alimentação, outros a atividade física. Alguns escolhem filosofias de vida, práticas ou grupos específicos. Há vários caminhos possíveis e que são complementares.

Estou com 45 anos e me sinto em um momento de vida em que estou dando conta de executar vários dos meus projetos há anos desejados. Sinto que estou sendo capaz, a cada dia, de utilizar de maneira integrada, produtiva e saudável minhas características pessoais e profissionais, concretizando meu potencial em ações e resultados.

Desde os 18 anos, já passei por inúmeros processos terapêuticos, psicoterapêuticos, vivenciais, formações, cursos, atividades, grupos de estudos, grupos de desenvolvimento, viagens, consultas e procedimentos dos mais variados tipos e enfoques. Cada um contribuiu e contribui para eu ampliar minhas consciências nos níveis corporal, mental, emocional e espiritual.

Entre estes caminhos, a abordagem da psicologia humanista Análise Transacional é uma base fundamental para mim. Não que seja um caminho melhor ou pior que outros, não estou no campo de julgamento. O que quero compartilhar é que aprofundar o conhecimento da personalidade e das interações humanas através da AT, desde 2011, é algo que tem feito sentido para mim e contribuído significativamente para meu processo de desenvolvimento.

Talvez pela forma despretensiosa de falar de assuntos profundos, talvez pela aplicabilidade da teoria, talvez pelos valores e visão compartilhados pela comunidade de Analistas Transacionais, talvez pelo otimismo e beleza da visão de homem e de mundo…provavelmente por vários destes fatores juntos, não sei. E não tenho a pretensão de dar conta de entender ou de explicar, rsrs.

O que sei é que estudar a personalidade humana, suas interações e sua complexidade, é algo que nos ajuda a ampliar nossa percepção sobre nós mesmos e nos enxergar. E para quem trabalha com desenvolvimento de pessoas ou está buscando diminuir a distância entre seu potencial e suas realizações no mundo, olhar-se e se trabalhar é fundamental. É matéria prima.

Queria compartilhar isso e fazer um convite: escolha um caminho para ancorar teu processo de desenvolvimento. Se for o da AT, será muito bem vind@ e poderá se surpreender.

Jeffersonn Moraes

um cara feliz com sua trajetória na AT (dá pra perceber, né?)